terça-feira, 25 de julho de 2017

Manifestação expõe nomes de policiais mortos no Rio

Manifestação expõe nomes de policiais mortos

A exposição foi organizada por uma ONG, que pretende deixar as placas no local até que os índices diminuam.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Ônibus são queimados em protesto após morte em favela no Rio


Um homem morreu após ser baleado nesta sexta-feira (4) durante uma operação da polícia na UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) São Carlos, região central do Rio de Janeiro.
É a quinta morte em decorrência de bala perdida em pouco mais de uma semana --todas ocorreram em comunidades com UPP. Por volta das 13h30, moradores da favela atearam fogo em dois ônibus em protesto.
Os coletivos estavam próximos a saída do viaduto Santa Bárbara, vizinho ao Sambódromo, no centro da capital.


quarta-feira, 5 de julho de 2017

Jovem é vitima de estupro coletivo em R de Albuquerque no Rio

A Polícia Civil prendeu sete suspeitos de estupro coletivo em Ricardo de Albuquerque, zona norte do Rio de Janeiro. A vítima, que tem 16 anos.



O crime ocorreu na noite da última segunda-feira (03/07) em uma casa a menos de 100 m da delegacia. Dos sete presos, três são maiores de idade --Jonathan Antônio Pinto Vieira, 18, Jorge Luiz Basílio Guimarães Junior, 20, e Mateus Machado Portela, 20.

Para o delegado, há a possibilidade de o ex-namorado ter planejado o crime porque ele tinha a chave da casa. Todos moram perto da vítima, que deixou a capital fluminense com a família. "Ela fez os exames e tomou os coquetéis antivirais. De saúde ela está bem, mas psicologicamente não", afirmou o delegado. O delegado afirmou que não foram encontradas imagens possivelmente feitas do crime. "A vítima acha que fizeram, mas nos celulares deles nada foi encontrado e ainda também não apareceram em redes sociais", afirmou Perez.

A própria vítima procurou a delegacia na madrugada de terça-feira (04/07).  Segundo o delegado, ela foi bem firme, mesmo fragilizada, ao narrar os fatos. Já os suspeitos afirmaram que a vítima praticou sexo consensual. "Ela não escondeu detalhes por isso acreditamos que seja verdade. Explicou que por já ter sido vítima de estupro e ter tido outros relacionamentos, que os exames não constatariam que ela havia perdido a virgindade recentemente. Eles alegam que foi consensual", disse Perez. As prisões ocorreram na manhã de terça.

Todos moram na mesma localidade da vítima, uma comunidade de Ricardo de Albuquerque. Familiares e amigos dos detidos em flagrante foram até a delegacia para defender os presos. O grupo tentou agredir fotógrafos e cinegrafistas. Eles também alegam que a vítima consentiu o crime.


Em dois dias deve ocorrer a audiência de custódia dos presos e dos menores apreendidos.