terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Protesto de servidores tem confronto com PM na Alerj

Protesto de servidores tem confusão e bombas no entorno da Alerj


Servidores que protestam contra o pacote anticrise do governo do Estado do Rio entraram em confronto com policiais militares nos arredores da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), nesta terça-feira (6), no centro do capital fluminense.
O conjunto de medidas sugeridas pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) começa a ser votado hoje na Casa.

Por conta do tumulto, PMs e homens da Força Nacional de Segurança, que reforçam o efetivo no local, lançaram várias bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral. Os militares também usam gás de pimenta a fim de dispersar os manifestantes.

O Batalhão de Choque da PM está atrás das grades instaladas em frente ao Palácio Tiradentes, sede do Legislativo. A proteção havia sido fixada no local justamente para impedir a aproximação de grupos de servidores.
Do lado de fora, os servidores soltam fogos de artifício e tentam chutar as bombas de volta.
Procurada pelo UOL, por telefone, a assessoria de comunicação da Polícia Militar informou que não passaria o efetivo presente no local. A reportagem enviou um e-mail para a corporação solicitando mais informações, porém ainda não houve resposta.A assessoria de imprensa da Alerj informou que a sessão de votação foi mantida para 14h, apesar dos confrontos que ocorrem no entorno da Casa.

A intenção dos servidores é pressionar os deputados a votar contra o pacote. Várias medidas penalizam os servidores. Na pauta de hoje, estão duas que eles não se opõem propriamente: a redução dos salários do governador, do vice e de secretários estaduais, e o fim da frota de veículos funcionais.


Fonte: UOL/Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário